Ipojuca paga 6ª parcela do benefício municipal

Pelo sexto mês consecutivo a Prefeitura do Ipojuca cocederá o Benefício Eventual Municipal (BEM), no valor de R$500, para quase 4 mil trabalhadores informais que vivem do turismo e tiveram suas atividades suspensas por causa do COVID-19. Quando foi criado pela prefeita Célia Sal,es em conjunto com o Comitê Contra o Coronavírus, o BEM pretendia ser mantido por três meses, mas diante da evolução do vírus e da interrupção das atividades econômicas, mais duas parcelas já foram concedidas. A 6ª parcela corresponde ao valor de mais de R$1,8 milhão e a previsão do depósito será na próxima quinta-feira (08).

De acordo com o vendedor ambulante, Tibiriçá Coutinho, foi a ajuda da gestão municipal que garantiu a sobrevivência nestes seis meses em que ficou impedido de vender seus artigos nas praias de Porto de Galinhas e Muro Alto. “Se não fosse o BEM teríamos passado fome. Só da classe dos ambulantes são 780 famílias que ficaram sem renda nenhuma”, afirmou. A Prefeitura do Ipojuca foi a única do Brasil que, além do Governo Federal, concedeu um benefício aos trabalhadores informais na pandemia.

A secretária de Assistência Social do Ipojuca, Anne Banja, explicou que “os meses de paralisação das atividades turísticas deixaram várias famílias em vulnerabilidade e a continuação do BEM significa a sensibilidade da gestão de que todos precisarão de um tempo pra se recuperar financeiramente”. O litoral de Ipojuca foi o primeiro a interditar suas praias, em 22 de março, antes mesmo do decreto estadual, e foi também o primeiro a entregar o protocolo sanitário municipal de volta das atividades comerciais e turísticas em 03 de junho. Cerca de 25 mil pessoas vivem do turismo em Ipojuca.

*HISTÓRICO*

– O BEM foi fruto de um Projeto de Lei do Executivo nº17/2020 enviado e aprovado pela Câmara Municipal em abril deste ano, convertido na Lei Municipal 1965/2020;

– Para ser beneficiário o trabalhador informal deveria ter cadastro prévio na Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano ou na Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTTRANS), como por exemplo barraqueiros, ambulantes, bugueiros, jangadeiros;

– A primeira parcela foi depositada em 15 de maio de 2020. Os beneficiários receberam o recurso através do cartão da Cielo, parceria feita pela Prefeitura, assim não precisam ir em agência bancária nem provocar aglomerações, pois funciona como débito e pode ser sacado em qualquer caixa eletrônico 24h.

– Antes do trâmite dos cartões saírem foram entregues cartões kit alimentação para que suprir as necessidades dos que estavam desde março sem renda, além de cestas básicas para 8.900 pessoas em situação de vulnerabilidade;

– Como o município teve uma queda significativa na arrecadação por conta da pandemia, a prefeita Célia Sales, fez um corte de 10% no salário de parte dos comissionados para viabilizar o benefício.

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.