Prefeitura do Ipojuca solicita recursos federais para ajudar os comerciantes da praia

A Prefeitura do Ipojuca, em decisão tomada pelo Comitê Contra o Coronavírus, que se reuniu por meio de vídeo conferência, nesta sexta-feira (20), solicitou recursos federais, no valor de um salário mínimo (R$1.045), para 750 ambulantes cadastrados na Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano, que trabalham nos 33km da Orla ipojucana, e que se encontram, por causa da pandemia do Coronavírus, em “extrema vulnerabilidade econômica, sendo questão de sobrevivência o apoio dos órgãos públicos”. Também foram incluídos na solicitação, 2.617 autônomos que trabalham como jangadeiros, bugueiros, garçons da praia, mangueadores, comerciantes da feira de artesanato, barraqueiros, taxistas, cobradores, todos dependentes do turismo local.

O ofício nº116/2020 partiu da Secretaria de Assistência Social do Ipojuca à Secretaria Especial de Desenvolvimento Social do Governo Federal, em atenção ao secretário Lelo Coimbra. O texto cita as recentes medidas de enfrentamento à pandemia do Coronovírus e apresenta a realidade do município do Ipojuca, localizado no Litoral Sul de Pernambuco, que tem o turismo como sua principal atividade. “Cerca de 12 mil famílias identificadas no Cadastro Único do Ministério da Cidadania estão em linha de extrema pobreza”. De acordo com o ofício, esta população sofrerá impactos financeiros diretos com a pandemia e o Governo Municipal não dispõe de recursos para, sozinho, custear auxílios financeiros.

A Prefeitura do Ipojuca também lançou nas redes sociais, nesta sexta-feira, a campanha de prevenção contra o Coronavírus: “Só um ponto importa agora: a sua saúde!” O material ainda faz um apelo à população ipojucana: “Por você e por todos; se previna, fique em casa”. Ipojuca ainda não tem nenhum caso confirmado, apenas um suspeito de estar com o Coronavírus. Um boletim diário com atualização deste status está sendo publicado nas redes sociais da Prefeitura (@prefeituradoipojuca), bem como orientações, recomendações e depoimentos de especialistas. Neste sábado (21), fica proibido o comércio das praias, incluindo Porto de Galinhas, o maior destino turístico do estado. “É hora de ter consciência e ficar em casa, preservar a nossa saúde e da nossa família. Só assim tudo terminará logo”, afirmou a prefeita Célia Sales.

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.