Prefeitura do Ipojuca faz balanço da situação do município no Palácio do Governo e lança campanha

Da Assessoria 

A Prefeitura do Ipojuca, através das secretarias de Meio Ambiente, Turismo, Infraestrutura, Saúde e Comunicação,  participou da reunião convocada pelo Governo do Estado sobre as ações de enfrentamento ao derramamento de óleo no litoral de Pernambuco e fez balanço da situação do Ipojuca. O secretário de Meio Ambiente, Erivelto Lacerda, que também é o coordenador do Comitê Gestor de Crise, instalado pela prefeita Célia Sales três dias antes do óleo chegar em Ipojuca, compôs a mesa junto com os representantes de outros municípios, como Igarassu, Olinda, Paulista e Jaboatão, além do Ibama, Marinha, CPRH e Complexo Portuário de Suape.

Na ocasião, após ouvir a apresentação do secretário estadual de Planejamento, Alexandre Rebelo, sobre as ocorrências do óleo no litoral pernambucano, o secretário de Meio Ambiente do Ipojuca, Erivelto Lacerda, falou como as ações preventivas da gestão municipal aliadas à mobilização popular garantiram a limpeza das praias ipojucanas. De acordo com ele, o fato de Porto de Galinhas não ter sido atingida e de as manchas de óleo não terem chegado na mesma proporção do que nos municípios vizinhos, não desfaz o alerta nem tão pouco o Comitê de Crise. Erivelto cobrou que os representantes do Governo Federal ali presentes usem dos equipamentos que dispõem para ajudar as prefeitura antes do óleo chegar nas praias. “Enquanto o Governo Federal não identificar da onde vem este óleo estaremos sujeitos a recebê-lo. Estamos monitorando os nossos 33km de orla 24h, com grande efetivo de pessoal que faz a limpeza urbana, os técnicos da Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e a Defesa Civil, e nos colocamos à disposição dos municípios que precisarem para trocarmos experiências”, disse Erivelto Lacerda.

A preocupação turística, além

da ambiental, também foi levantada pelos presentes na reunião. Em Ipojuca são mais de 20 mil empregos diretos como turismo. A ausência da prefeita Célia Sales, nesta reunião com o governo estadual é oriunda exatamente desta preocupação. Nesta quarta-feira (23), ela se reuniu com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e com o secretário estadual de Turismo, Rodrigo Novaes, em Brasília, para traçar estratégias de divulgação para que o turista não deixe de procurar Porto de Galinhas, Maracaípe, Serrambi para visitar por causa deste episódio.

CAMPANHA

Independente da integração das ações de marketing com o governo do estado e com o governo federal, para que o turismo não seja comprometido pelas manchas de óleo, a Prefeitura do Ipojuca lançou a sua campanha: “Pode vir que tá limpeza!” A iniciativa busca mostrar aos turistas que não há qualquer determinação que proíba o banho de mar e que inviabilize a vinda dele ao nosso maior destino, que é o 6º mais procurado do Brasil: Porto de Galinhas.

“O nosso balneário emprega 50% da nossa população economicamente ativa e gera grande parte de nossa arrecadação. Por isso, criamos, em tempo recorde, uma campanha que mostra turistas reais falando sobre a experiência que tiveram com a praia após a limpeza delas, com o tema “Pode vir que tá limpeza!”, explicou o secretário de Comunicação do Ipojuca, Puran Medeiros. Ao todo, nestes 5 últimos dias, a Prefeitura contabilizou o recolhimento e envio para o CTR Igarassu de cerca 180  toneladas de óleo.

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.