Núcleo do Ipojuca da Orquestra Criança Cidadã estreia Programa de Aprendizagem Profissional

A profissionalização na música, um dos motes da Orquestra Criança Cidadã, entra numa nova fase no Núcleo do Ipojuca, com a aprendizagem profissional. A aula inaugural – mediada pela entidade formadora, a Organização de Auxílio Fraterno do Recife – reuniu os 33 músicos e equipe do projeto social, na tarde da última segunda (19), para dar início ao Programa, que inicialmente, beneficiará 33 alunos da instituição musical.

Os selecionados têm entre 14 e 20 anos e passarão pela formação “Músico Intérprete Instrumentista”, ao longo de um ano e oito meses. Durante este período, serão remunerados mensalmente e terão aulas de segunda a sexta na própria Orquestra, que será a entidade acolhedora, visto que as empresas contratantes não podem manter os aprendizes em suas dependências devido, por exemplo, ao grau de periculosidade envolvido nas atividades desenvolvidas. O mecanismo legal que permite a contratação alternativa está previsto no Decreto Nº 8.740, do ano de 2016.

A coordenadora administrativa e financeira da OAF do Recife, Mônica de Oliveira, justificou a articulação com a Orquestra: “Em uma reunião que tivemos na Prefeitura do Ipojuca, o nome da Orquestra foi levantado pelo Ministério do Trabalho para fazer parte desse programa de cotas alternativas na aprendizagem, devido à vulnerabilidade social dos jovens aqui atendidos”. A urgência por uma medida neste sentido já era sentida pela gerente administrativa da Orquestra, Eliude Braz: “Observávamos os alunos completando 16, 17 anos e já partindo para a informalidade, no sentido de levar renda para casa, e esta oportunidade será muito bem aproveitada por eles”.

De acordo com os dados do Ministério do Trabalho, de janeiro a junho deste ano, 227.626 aprendizes foram contratados. Destes, 6.031 admitidos em Pernambuco. Na OAF do Recife, atualmente são 216, já contando com os alunos da Orquestra. Fazer parte dessa estatística, para o violinista Luanderson Ferreira, 17, é mais um reconhecimento do trabalho desenvolvido pela OCC em Camela. “Esse projeto abriu um mundo de possibilidades para nós; só podemos recompensar a oportunidade recebida com muito estudo”, agradeceu.

O curso terá a duração de 1680 horas, dividido em 25 disciplinas teóricas e práticas. A formação será custeada por seis empresas (V2 Ambiental, Terceiro Setor Eireli, BPM Serviços, Infinito Promoções e Eventos, Real Energy e Faab Engenharia), que concederão outros benefícios trabalhistas aos contratados, como férias e 13º salário. Ao final do programa, os aprendizes também receberão certificados na atividade exercida.

Crédito da foto: Orquestra Criança Cidadã / Divulgação

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.