Justiça proíbe empresários da Casa de Farinha de participar de licitações com a administração pública

A Justiça proibiu os donos da empresa Casa de Farinha de participarem de licitações com a administração pública. Ela é investigada em operação que apura fraudes no fornecimento de merenda escolar.

O despacho foi assinado pela juíza Idiara Buenos Aires Cavalcanti, de Ipojuca, no Grande Recife, após um pedido adicional feito numa denúncia do Minitério Público de Pernambuco.

A proibição afeta os réus Romero Fittipaldi Pontual Filho, Nelson Nunes Canniza Neto, Valéria dos Santos Silva, Daniel Candido Xavier dos Santos e Rogério Lopes da Silva. Na decisão, a juíza determina também que os donos da empresa deixem de participar de licitações que, inclusive, já estejam em andamento.

Os donos da Casa de Farinha também ficam proibidos de utilizar qualquer negócio em que sejam sócios, diretores ou representantes ou como empresários individuais. Eles também são proibidos de constituírem novas sociedades empresariais e de promoverem alterações nas que já integram.

A decisão se baseia, ainda, no fato de que a Casa de Farinha sofreu alteração contratual e passou a chamar-se Plural Terceirizações e Serviços.

Fonte: G1 PE

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.