Grupo realiza protesto contra privatização de terreno em Ipojuca

Um grupo de bugueiros realiza, na manhã desta segunda-feira (7), uma manifestação no município de Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife (RMR). O grupo bloqueou o trânsito na PE-60 e na PE-009, próximo ao Enotel Acqua Club, mas já foi liberado. De acordo com os integrantes do protesto, o ato acontece devido à privatização de um terreno que fica na Praia da Camboa.

“A Prefeitura ganhou R$ 9 milhões para privatizar esse terro. 95% das praias daqui são privatizadas. Os únicos 5% que não são, querem privatizar. Esse movimento está mobilizando toda a população. As pessoas que sempre foram acostumados a acampar e passar o dia na praia. Está todo mundo revoltado, não vamos aceitar isso”, declara o bugueiro Thiago Henrique. De acordo com ele, o grupo participará de uma reunião, no Ministério Público de Ipojuca, para tratar sobre o caso. A Praia da Camboa fica próximo à Praia de Muro Alto, no Litoral Sul de Pernambuco.

Segundo Thiago, cerca de 150 bugueiros e 40 vans participaram da manifestação. “A gente ainda tem acesso ao terreno porque a gente vem realizando esses protestos. O lugar já está todo rodeado de coqueiros. Eles cercaram para a gente não poder entrar. O pessoal fez isso com o aval da prefeitura”, relata Thiago. A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Ipojuca, mas até o momento não houve resposta.

Resposta da Prefeitura

Por meio de nota, a prefeitura de Ipojuca informou que o local é de propriedade particular. Porém, o órgão afirmou que emitiu uma notificação embargando a obra e exigindo que o dono apresente a licença concedida pelo CPRH. Ainda na nota, a prefeitura relatou que o Ibama notificou o proprietário para se esclarecer sobre o caso. Confira:

“A Prefeitura do Ipojuca informa que, sobre a construção da obra de contenção na Praia de Camboa, apesar de se tratar de um terreno particular, emitiu, através da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano, no dia 26 de setembro de 2019, uma notificação embargando a obra e exigindo que apresente a licença concedida pelo CPRH, que é o órgão responsável. O IBAMA, no dia anterior, 25 de setembro, também notificou o proprietário para que preste esclarecimentos. Esta é uma pauta prioritária por se tratar do meio ambiente e do acesso à praia e que precisa ser resolvida de forma legal.”

Fonte: JC Online

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.