Em Ipojuca, 45 famílias recebem ordem de despejo com sete dias de prazo para desocupação de terreno

Lideranças da comunidade da rua do Campo, em Porto de Galinhas, município de Ipojuca, estão sofrendo com a possibilidade de despejo de uma área em que vivem há mais de 40 anos.

Segundo afirmam moradores locais, na manhã dessa segunda-feira (12) representantes da comunidade se reuniram com o Ministério público e outras instituições públicas, e receberam a notícia de que terão que deixar o local em sete dias.

Uma das lideranças da comunidade, Josilene Maria, relatou que os representantes afirmaram que irão “derrubar as casas nesse curto período”, e que o advogado que defende a causa das famílias da comunidade busca obter prazo de seis meses para a retirada do local. “Não temos como sair daqui nesse tempo, é desumano, é absurdo, vamos acabar ficando com as nossas coisas nas ruas. Eles apenas disseram que colocariam nossos pertences em um depósito em Ipojuca, sem recurso algum, sem solução, sem nada. Para os que receberam essa notícia, o desespero foi grande”, conta a moradora.

O Estado de Pernambuco reivindica o terreno, mas os moradores contam que há 12 anos é o que eles dizem, mas que nunca conseguiram comprovar que a área é de fato do estado.

Apesar de a região já contar com 20 hotéis e 200 pousadas, ter uma oferta de mais de 14 mil leitos, o que já é suficiente para o fluxo de turistas que visitam o local, a região possui forte interesse por parte do mercado imobiliário hoteleiro.

A última reintegração de posse em Ipojuca ocorreu no ano de 2013 em uma comunidade localizada às margens da Estrada de Maracaípe.

Com informações do CSP-Conlutas Central Sindical e Popular

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.