Assassinato de jovem em Ipojuca há um ano segue sem solução: “Estou destruída”, diz mãe

O assassinato do jovem Alan Vieira da Silva completou um ano no último dia 14 de fevereiro. O crime ocorreu na Rua Hilda da Costa Monteiro, no Centro de Ipojuca, há poucos metros da Delegacia local no momento em que ele ia acompanhado de sua família para a igreja.

Desde então, a vida de sua mãe, Bethania Maria, não é mais a mesma. “Eu não tenho mais vida. Estou destruída. Há um ano não trabalho mais, pois só vivia chorando no emprego e por isso fui despedida”, afirmou.

Alan tinha 15 anos, estudava na Escola Estadual de Referência do Ensino Médio (EREM) Ipojuca e era membro da Igreja Missionária, localizada nas proximidades do núcleo da Polícia Militar, também no Centro do município.

“Esse caso tem muitas lacunas em aberto que ainda não foram preenchidas. Há uns cinco meses fui chamada para comparecer a Delegacia de Ipojuca, onde me falaram que haviam dois suspeitos de ter cometido o crime e que em breve seria chamada para reconhecê-los. Desde então, não tive nenhuma novidade referente ao caso”, relatou Bethania, acrescentando.

“O que mais me revolta é essa demora para identificação e prisão dos culpados pela morte do meu filho. Isso é o que mais aflige a nossa família. Sei que a Polícia tem outros casos para investigar, mas para os familiares é muito dolorido”, concluiu.

A TV Ipojuca – Rede i de Comunicação entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Polícia Civil de Pernambucano para que algum esclarecimento sobre o caso fosse dado e aguarda retorno. O crime está sendo investigado pela 15ª Delegacia de Polícia de Homicídios de Ipojuca.

O CASO

Alan Vieira da Silva foi baleado duas vezes na cabeça durante uma tentativa de assalto na Rua Hilda da Costa Monteiro, Centro de Ipojuca. Ele seguia com familiares para um culto e quando pararam o carro para dar carona ao seu irmão Alisson, que seguia a pé para igreja, foram abordados por dois homens em uma moto, anunciando o assalto. O motorista do veículo tentou fugir e os suspeitos atiraram, acertando o jovem. “Ele caiu no meu colo”, revelou com tristeza sua mãe.

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.