Abertura do ano letivo em Ipojuca é marcada pelo anúncio de reajuste salarial

A Prefeitura do Ipojuca, através da Secretaria de Educação municipal, realizou nesta terça-feira (04) a cerimônia de abertura do ano letivo 2020 e uma notícia dada pela prefeita Célia Sales animou os professores: o reajuste salarial de 12,84%. Os dados sobre os avanços da Educação no município também foram motivo de comemoração pelo trabalho coletivo desenvolvido e pelo empenho e dedicação dos professores e de toda a equipe pedagógica. A palestra da psicóloga e doutora em filosofia, Viviane Mosé coroou o evento com o tema: “Formação humana e afetos na vivência do currículo escolar”.

O evento aconteceu em dois turnos, reunindo cerca de 1.100 professores. “Tenho muito orgulho do trabalho que estamos desenvolvendo no nosso município, sei do empenho de cada um e quero que saibam que, no nosso governo, a Educação é prioridade. Vamos continuar promovendo capacitações e valorizando cada um de vocês”, afirmou a prefeita Célia Sales que aproveitou para convidar a todos para a inauguração da maior creche do estado de Pernambuco, em Maracaípe, no dia 06. O reajuste salarial concedido de 12,84% é o maior da história de Ipojuca e faz parte da política de valorização da gestão municipal.

O Secretário de Educação, Francisco Amorim, apresentou dados que mostram que, enquanto em outros municípios, o número de alunos na rede pública estão caindo, em Ipojuca está aumentando. Foram abertas em 2020, cinco mil novas vagas. Ele também mostrou que houve melhoria do fluxo escolar, aumento da aprovação e redução da reprovação e da evasão escolar. “Número de alunos aprovados nas escolas técnicas prova que a qualidade do ensino está avançando. Até esta terça, aprovamos 85 alunos no IFPE, ETEs”, comemorou Francisco Amorim.

O alerta dado aos professores pela palestrante Viviane Mosé foi que mais do que o cumprimento do conteúdo é importante incluir o afeto na grade curricular. E isto se faz necessário pelas alterações comportamentais que não só a sociedade, mas os alunos estão vivendo: depressão, suicídio, automutilação e agressividade. “Precisamos ouvir nossos alunos, entender suas realidades, sermos afetuosos, acolher, tratar com alegria, mostrar comportamentos éticos (explicar nao é suficiente), assim vamos ajudar a formar cidadãos mais amáveis e com valores humanos”, disse Viviane. A palestra de Viviane Mosé aconteceu da programação do _5º Seminário Regional do Litoral Sul: Escola? Presente_ promovido pelo Instituto Brasileiro Pró-Cidadania.

text

Adicione seu comentario

Seu endereo de email no ser publicado.